Origem das Artes Marciais – Matriz e Suas Ramificações Pela História no Mundo

Origem das Artes Marciais – matriz e suas ramificações pela história no mundo.  Arte marcial é uma disciplina física e mental, mas qual foi seu início? como é exercida e como foi evoluindo para diferentes ramificações e níveis? Muitas perguntas, que você poderá obter sua respontas, aqui no bdnesportes.com

Origem das Artes Marciais – Por BDN ESPORTES.

Bodhidharma no templo shaolin

Arte de atacar para se defender, denominada como “arte da guerra”, tendo origem no oriente, é termo vinculado ao deus da mitologia grega de nome “Marte”. Por ventura ligada as técnicas utilizadas contra os oponentes em gueras, técnicas unidas em um só conceito.

Contexto partindo dos gregos e introduzida na a mitologia romana, do qual Marte era chamado “Ares”. Fatos registrados em documentos históricos de Roma, que descreve as artes militares ensinadas aos homens separadamente. Cada legião tinha uma técnica específica a desempenhar em guerra. Hoje em dia, o termo “arte marcial” é usado para todos o combates de origem oriental e ocidental. Cada técnica matriz(raiz) ou ramificações (aperfeiçoamento) dos estilos. Exemplos: Há definições para estilos como: Wu Shu (“arte de guerra”) na China e o bu-shi-do (“caminho do guerreiro”) no Japão. No entanto, não são os gregos a serem os responsáveis por sua origem, assim, como muitos outros países, foram disseminadores, idealizadores do aperfeiçoamento da arte marcial e cultural de uma outra civilização.

Origem das Artes Marcias – História/Civilizações.

Mural_Shaolin

Ensinamentos provenientes do Oriente e Ocidente deram origem as praticas de artes marcais. Falaremos para entendimento das práticas mais conhecidas no mundo como do: o Wushu (popularmente conhecido no ocidente como Kung-Fu), o Taekwondo, a Esgrima, o Arqueirismo (tiro com arco), o Hipismo, o Boxe, o Savate, o Judô, o Karatê, a Luta Olímpica (a luta greco-romana, luta livre olímpica) e Ninjutsu etc. Nas modalidades de cunho mais esportivo(esporte de contato), há um único direcionamento para as competições. mas isso falaremos em outro artigo. Veja – A Origem da Luta Olímpica

Fonte: A história das nações de Hutchinson, p.94, início do século XX – artista desconhecido.

Ramificação Budô.

A versão mais conhecida da arte marcial no oriente – BUDÔ, tenha como foco principal o monge Bodhidharma. Há descrições sobre relatos históricos, disponíveis em museus e em templos do países do Ásia Meridional, que citam sobre a existência de um monge indiano que em viagem à China, orientou os monges chineses a prática da Yoga e nos procedimentos da arte técnica de fortalecimento físico e mental.

Essa “orientação” acarretando na criação de estilos próprios pelos monges de Shaolin. Estudo histórico das Dinastias Shang em 1122 a.C.; Durante o período Chou e do período de 770-481 a.C. foi chamado de Era da Primavera e do Outono. Nesta época, o Kung Fu foi chamado de Ch’uan Yung.

O período entre (480-221 a.C.) época de civilizações que estavam em guerra, produziu muitos estrategistas que enfatizavam a importância do Kung-Fu na construção de um forte exército, há comprovações que os romanos visitaram no Okinawa entre  311 d.C. até ao seculo XI.”Exercícios descritos por manuscrito romano (Manuscrito de Mileto – que foi inscrito por Aristotolis, que citava o conhecimento visto e vivido por Mileto, que viveu nas colonias gregas da Ásia Menor).

As relações sino-romanas compreendiam o contato indireto, o fluxo de bens comerciais, informações e viajantes ocasionais entre: o Império Romano; o Império Han da China e posterior ao Império de várias dinastias chinesas.

Esses impérios se aproximaram progressivamente no curso da expansão romana, para o antigo Oriente e simultâneas incursões militares chinesas de Han na Ásia Central. A conscientização mútua permaneceu baixa e o conhecimento firme sobre o outro era limitado. Apenas algumas tentativas de contato direto são conhecidas em registros históricos. Impérios intermediários como: os Partos e os Kushans, buscando manter um controle lucrativo sobre o comércio da seda. Inibiram o contato direto entre essas duas potências eurasianas. Em 97 dC, o general chinês Ban Chao tentou enviar o Gan Ying a Roma, mas Gan foi dissuadido pelos partos de se aventurar além do Golfo Pérsico. Vários supostos emissários romanos à China foram registrados por antigos historiadores chineses. O primeiro registro, supostamente do imperador romano Antonino Pio ou de seu filho adotivo Marco Aurélio, chegou em 166 DC. Outros são registrados como chegando em 226 e 284 d.C. com uma longa ausência até a primeira embaixada bizantina registrada em 643 d.C.

A troca indireta de mercadorias em terra ao longo da Rota da Seda e das rotas marítimas, incluía a seda chinesa, objetos de vidro romanos e tecidos de alta qualidade. Moedas romanas do século I d.C. em diante foram encontradas na China. Moedas de Maximiano e medalhões dos reinados de Antonino Pio e Marco Aurélio em Jiaozhi no Vietnã moderno, a mesma região na qual fontes chinesas reivindicam os romanos primeiro.

Império romano descrevia “ataques e fortalecimento físico dos guerreiros”. Dos notáveis mestres de Kung-Fu em luta de espadas, naquele tempo, muitos eram mulheres.

Yuenu.

Yuenü viveu durante o reinado de Goujian de Yue (496-465 a.C). Desde muito jovem aprendeu arco e flecha e como usar uma espada que acompanhava o pai na caça. O rei de Yue tinha planejado atacar o estado de Wu e quando ouviu sobre suas habilidades, ele a convidou para o tribunal. Ela comparou a arte da espada a uma porta, que pode ser dividida em duas partes, yin e yang. “Que para fortalecer o espírito, era preciso permanecer calmo.

Yuenü se tornou uma espadachim do estado de Yue, na moderna província de Zhejiang. Também é conhecido como Aliao e Maiden of the South Forest (Donzela da Floresta do Sul). Sua arte da espada impressionou o rei, que decretou que suas habilidades deveriam ser usadas no treinamento do exército e deu a ele o título de “Senhora de Yue” (越 女). O rei a designou para treinar os oficiais de seu exército, que por sua vez instruíam os soldados. Suas teorias sobre a arte de esgrimista influenciou as artes marciais chinesas por gerações.

O termo oficial para o Kung Fu naquela época era chi chi wu (os mesmos caracteres que os usados para o Ju-Jutsu  japônes). As dinastias Ch’in (221-206 a.C.) e Han (206 a.C. – 220 d.C.) presenciaram o crescimento das artes marcias como o shoubo (primeira transmissão).

Os olhos verdes de Cai Junnian dão uma dica de que ele pode ser um descendente de mercenários romanos que supostamente lutaram contra os chineses han há 2.000 anos Foto: NATALIE BEHRING
Testes descobriram que o DNA de alguns aldeões em Liqian, na periferia do deserto de Gobi, no noroeste da China, era de 56% de origem caucasiana. Muitos dos aldeões têm olhos azuis ou verdes, narizes longos e cabelos louros, o que leva a especulações de que eles têm sangue europeu.

Arqueologia e fatos culturais que comprovam o país de origem das artes marciais (A arte matriz/raiz)

Uma das provas que defendem esses fatos históricos, estão na descoberta da Paisagem Cultural e Vestígios Arqueológicos do Vale de Bamiyán, localiza-se a 240 km de Cabul, no Afeganistão. são locais que contém diversos testemunhos culturais do Reino da Báctria, dos séculos I a XIII, nomeadamente da corrente Gandara da Arte Budista.

Em 17 de Agosto de 2010, terça-feira, em conversa com a equipe da Reuters o disse Mohammad Nader Rasouli, chefe do Departamento Arqueológico Afegão, comentou que “Há um templo, com estufas, quartos bonitos, estátuas grandes e pequenas, duas com o comprimento de sete e nove metros, afrescos coloridos ornamentados com ouro e algumas moedas”.

“Algumas das relíquias datam do século V (AD). Há por  volta da era antes de Cristo ou pré-história com assim podemos descrever “, disse ele. “Precisamos de ajuda externa para preservar estes e seus conhecimentos para nos ajudar em novas escavações”. O budismo foi uma das principais religiões, acompanhemos o Budismo na Histtória:

– No Afeganistão durante a era pré-islâmica. A religião era generalizada ao sul das montanhas Hindu Kush. O budismo chegou pela primeira vez no Afeganistão em 305 A.C., quando o Império Seleucid grego fez uma aliança com o Império Maurya indiano.

– O greco-budismo resultante floresceu sob o Reino Greco-Bactriano (250 aC-125 aC) e o Reino Indo-Grego posterior (180 aC – 10 dC) no moderno norte do Paquistão e no Afeganistão. O greco-budismo atingiu seu auge sob o Império Kushan, que usava o alfabeto grego para escrever sua língua bactriana.

Numerosos monges budistas foram enviados, incluindo Bodhidharma. Que foi o fundador do Budismo Zen na China e lendário fundador de Kung Fu de Shaolin. (Lokaksema c. 178 d.C.). Viajou para a capital chinesa de Luoyang, foi o primeiro tradutor de escrituras budistas Mahayana em Chinês e Mahadharmaraksita.

De acordo com o Mahavamsa (capítulo XXIX), conduziram 30 mil monges budistas da “cidade grega de Alexandria” (Alexandria do Cáucaso, a cerca de 150 km a norte de Kabul atual no Afeganistão). Ao Sri Lanka para a dedicação da Grande Stupa em Anuradhapura. O rei greco-bactriano Menander I, (Pali) “Milinda”, governado 165 aC – 135 a.C. era um renomado patrono do budismo imortalizado no texto budista Milinda Panha.

O famoso mosteiro budista persa em Balkh, no norte do Afeganistão, conhecido como Nava Vihara (“Novo Mosteiro”), funcionou como o centro da aprendizagem budista da Ásia Central durante séculos. A religião budista no Afeganistão, começou a desaparecer com a chegada do Islã no século 7. Finalmente terminou durante os Ghaznavids no século 11.

Os Budas de Bamiyan ficam na Rota da Seda, uma rota de caravanas que ligava a China e a Índia. Existiam vários mosteiros budistas e um próspero centro para religião, filosofia e arte Budista. Foi um local religioso Budista do século II até a época das conquistas árabes. No século VII, quando ganharam as batalhas de Walaja, Cadésia e Nahavand Sobre o Império Sassânida que dominavam a região.

Os monges dos mosteiros viviam como eremitas, em pequenas cavernas esculpidas nas laterais das rochas de Bamiyan. Muitos desses monges embelezavam suas cavernas com estatuária religiosa e produziam afrescos. As duas estátuas mais proeminentes eram os dois Budas, medindo 55 e 38 metros de altura, os maiores exemplares de Budas em pé esculpidos no mundo.

O peregrino chinês budista Hsüan-tsang viajou pela área por volta de 630 e descreveu os Budas de Bamiyan como um florescente centro Budista “com mais de dez mosteiros e mais de mil monges”. Ele destacou que ambas as estátuas do Buda estavam “decoradas com ouro e pedras preciosas”

Da China estes conhecimentos se expandiram por quase toda a Ásia e para o mundo. Estudos culturais e arqueológicos, apresentam comprovações de uma única rota percorrida por todas as civilizações antigas. Podemos dizer que a base das artes marciais, da sua forma mais pré-histórica (Matriz/Raiz) provem da Índia. As demais artes marciais. provém,  de sua principal ramificação que é do Ocidente, países como a China e Japão. Desenvolvendo as ramificações segundarias pela Africa, Egito, Grécia e Roma, porém não exatamente nesta ordem.

Aperfeiçoamento Marcial

Cada ramificação teve seu aperfeiçoamento, ao ponto de torna-la única. A cada estudioso, teve seu histórico precursor. Exemplo: Japão e Coreia também têm tradição milenar em artes marciais, destaca-se o Judô, Karatê e suas ramificações, tais como do (os) (estilos): Shotokan, Bushi Ryu, Shito-Ryu, Shorin-Ryu, o Jiu-Jítsu, o Kendô, o Aikidô etc.

O mundo ocidental desenvolveu outros sistemas com base nas técnicas orientais, como o Savate Francês.

Ao longo dos anos, pessoas de todo o mundo estudam artes marciais por diferentes motivos: como condicionamento físico, defesa pessoal, coordenação física, lazer, desenvolvimento de disciplina, participação em um grupo social e estruturação de uma personalidade sadia, visto quê, a prática possibilita o extravasamento da tensão que harmoniza o indivíduo, focalizando-o positivamente.

O enfoque na respiração proporciona benefícios físicos e psicológicos, como diminuição do cansaço, potencialização dos movimentos, aumento da autoconsciência e tranquilização. Atualmente se praticam somente as ramificações, que são várias espalhadas pelo mundo, citaremos algumas:

Na China – Artes marciais

Shu = artes chinesas, onde se encontram os estilos mais recentes e modernos, muito destes adaptados à competição.

Shi = artes chinesas, onde se encontram estilos diversificados, normalmente junção de várias artes marciais. ex: Kung shi

Bugei = o sistema é simplório, referindo-se a técnicas de guerrear com o aprendizado voltado à manipulação e domínio de equipamentos bélicos tradicionais, como o arco e flecha, os diferentes tipos de espada, lança, alabardas, foices, bastões, machados, correntes, dentre vários outros, característicos da época e região.

Bujutsu = Arte marcial relacionada a todas as modalidades técnicas necessárias para o combate corpo a corpo. É composto por um conjunto de técnicas do milenares, definido como as dezoito disciplinas de combate, incluindo equitação e natação. Foi estabelecido após o período Kamakura japonês (1192-1333), após a chegada da classe samurai ao poder, sendo sua prática limitada a membros da elite guerreira, cabendo o domínio total das técnicas somente a uma pessoa, o fundador do estilo. Ex. Budo Taijutsu,

Kenjutsu, Iaijutsu, Ninjutsu, Budō = O budô é a evolução do bujutsu, juntamente com o bugei. O budô foi dividido em duas linhas de evolução: a linha esportiva competitiva e a linha de estudo da técnica marcial (sem o propósito de guerra). Evolução característica da arte marcial e outras que se mantiveram desde a antiguidade. Ex: caratê, quempô, judô, aiquidô, quendô, quiudô, Yoseikan etc.

Artes marciais mistas (MMA).
No período moderno, diversas práticas marciais ficaram vinculadas unicamente à luta e à defesa pessoal, situação muito distinta da do Oriente. Que as integra a um sistema filosófico que prepara o praticante físicamente e espiritualmente, criando uma consciência da futilidade de viver competindo e de utilizar sua arte para defender de outro estilo quem não teve o mesmo preparo. Cada país aplicavam o seu próprio método científico em suas práticas. Este podemos citar Brasil, Africa, Estados Unidos e países da europa.

Entre os estilos ocidentais de luta, podemos citar:
Full contact, Jeet kune do, Jiu-jitsu brasileiro, Jogo do pau, Keysi, Luta greco-romana e Sambo.

O pancrácio (pankration) greco-romano originou vários sistemas de combates com mãos nuas na Europa: Abrazzare, Boxe, Catch-as-catch-can, Kampfringen, Glíma, Gouren e Savate.

Há muitas outras ramificações, contexto que falaremos em outro tema.

Texto, informações imagens referente:

Comentários sobre as pesquisas – Kellen B. Gomes.

http://blogs.reuters.com

Foltz, Religions of the Silk Road, p. 46
Full text of the Mahavamsa Click chapter XXIX Berzin, Alexander (December 2006).

“History of Buddhism in Afghanistan”. Retrieved June 5, 2016.
Nancy Hatch Dupree / Aḥmad ʻAlī Kuhzād (1972). “An Historical Guide to Kabul – The Name”. American International School of Kabul. Archived from the original on August 30, 2010. Retrieved September 18, 2010.

Amy Romano (2003). A Historical Atlas of Afghanistan (illustrated ed.). The Rosen Publishing Group. p. 25. ISBN 0-8239-3863-8. Retrieved 18 September 2011.
Steven Otfinoski (2004). Afghanistan (illustrated ed.). Infobase Publishing. p. 6. ISBN 0-8160-5056-2. Retrieved 18 September 2011.

“Schøyen Collection: Buddhism”. Retrieved 23 June 2012.
Embassy of the United States, Kabul. Ghazni 10.26.2011
Embassy of the United States, Kabul. Mes Aynak 10.29.2011
42 Buddhist relics discovered in Logar”. Maqsood Azizi. Pajhwok Afghan News. Aug 18, 2010. Archived from the original on 2010-03-17. Retrieved 2010-08-23.

“Afghan archaeologists find Buddhist site as war rages”. Sayed Salahuddin. News Daily. Aug 17, 2010. Archived from the original on 2010-08-18. Retrieved 2010-08-16.
“Buddhist remains found in Afghanistan”. Press TV. Aug 17, 2010. Retrieved 2010-08-16. Historia da China: http://www.guiageo-china.com/historia.htm

.História Japonesa: http://www.culturajaponesa.com.br/index.php/historia/historia-do-japao/

.História da Índia: http://www.rtp.pt/programa/tv/p22415. https://seuhistory.com/noticias/arqueologos-lutam-para-preservar-mosaicos-de-2-mil-anos-na-turquia

Foto de chamada e parte dos textos complementares: Description Description Deutsch: Buddha-Statue in Bamiyan (Afghanistan). Die, bis zur Zerstörung durch die Taliban (2001), mit etwa 55 m Höhe weltweit größte Darstellung eines stehenden Buddha.siehe auch: Gandhara-Kultur, Buddha, BuddhismusSource / Licence”for unrestricted use”, see: http://www.unesco.org/bpi/eng/unescopress/2001/afghanistan.shtmlDate photographed: 1963; uploaded: 6 February 2008 (first version); 10 September 2004 (last version)Source Transferred from de.wikipedia to Commons.Author UNESCO/A Lezine;

Fotos, informações e referências: Por Ana Yamashita, diretamente de Americana, SP, Brasil – Fontes: Tourism & More; China Highlights; China Tour Guide; Travel China Guide; Visit Our China 

fonte: https://br.pinterest.com/pin/341569952974541209/
fonte: http://redes.moderna.com.br/2012/07/23/olimpiadas-em-olimpia-aspectos-dos-jogos-olimpicos-na-grecia-antiga/
fonte: https://www.mokuhyou.com.br/2017/04/15/reparos-do-castelo-de-kumamoto-devem-levar-decadas/
fonte: http://veja.abril.com.br/ciencia/arqueologos-descobrem-templo-budista-no-afeganistao/
fonte: http://www.arkiplus.com/historia-de-la-escultura-india